Páginas

[Degustação] Fazendo meu Filme 3

Algum tempo atrás eu tinha feito a resenha de Fazendo Meu Filme 1 e 2. E tinha colocado uma mini sinopse do terceiro livro. Bom, ainda não li FMF 3, mas prometo que no próximo ano faço a resenha.  = )
Quem quiser ver o post é só clicar AQUI.

E quem quiser ler o primeiro capítulo de Fazendo Meu Filme 3, é só clicar na imagem abaixo. O livro já começa de forma divertida. Além de mostrar que o romance entre Fani e Leo está super bem, obrigado! Rsrs. Aproveite o primeiro capítulo. E boa degustação!


A Breve Segunda Vida de Bree Tanner


Acredito que todos saibam que A Breve Segunda Vida de Bree Tanner, é uma história paralela de Crepúsculo. Para ser mais exata, uma história decorrente de Eclipse. Stephenie Meyer criou uma história que mostra que (por vezes) somente o mais esperto sobrevive. É uma verdadeira história de manipulação.
Achei esse livro bem diferente da Saga Crepúsculo. Aqui os vampiros não matam só por fome, mas também por diversão. O livro segue a vida e os pensamentos de Bree Tanner, tendo a história narrada pela mesma. É contado como ela se transformou em vampira, a vida miserável que levava antes da transformação e todos os sentimentos que um recém-nascido poderia ter, como a descoberta dos vampiros, a imposição das "regras" e o mais importante, tomar cuidado para sobreviver.
Bree convive com o fato de que cada dia haverá um novo vampiro entre eles. E que a cada dia um vampiro desaparecerá. 
Ninguém sabe o objetivo daquele grupo. Até que ela se junta com Diego (o vampiro mais agradável do lugar) e acaba descobrindo várias verdades sobre o novo mundo que pertencem e talvez a metade do motivo de estarem ali.
Pelo fato do livro ser mais "sangrento" que a saga, alguns fãs não gostaram muito do livro. Porém achei o livro bem satisfatório. Aqui, apesar de ter uma história de amor, eles tem sempre que estar em vigia constante. Temendo até em quem eles deveriam acreditar. Há sempre uma tensão no ar, que é quase palpável pela descrição dos sentimentos da garota. E o final (apesar de já conhecido) me emocionou bastante pelo fato de ser descrito pela Bree. Cada sensação, cada suspiro, o medo de morrer. É tudo muito real. Cheguei até a me surpreender. 
Recomendo ler o livro com calma. Se colocando no lugar da jovem vampira. Temendo seus medos e se agrandando com suas pequenas alegrias inesperadas. Não é um livro doce de ler. E não conta uma história feliz. Mas é um livro diferente e merece toda sua atenção. O tipo de livro para se ter em sua estante. Recomendo ler, uma, duas, três vezes, até se cansar. E no final do livro, simplesmente feche os olhos. Vai ser mágico.

Boa leitura!

Batman: Louco Amor

Sabe aquela história que você lê e nem sabe o que dizer de tão perfeita é a história (pelo menos para você)? Pois é, esse HQ feito por Paul Dini e Bruce Timm é exatamente assim. Para quem gosta de histórias em quadrinhos, principalmente dos pombinhos, Arlequina e Coringa, deve saber o que estou falando.
Em Louco Amor é contada como a médica psiquiátrica Harleen Quinzel conheceu o tão temido Sr. C. e acabou virando a louca apaixonada, Arlequina. A história também relata a palhacinha mostrando ser uma grande vilã, conseguindo até armar um plano (modificar é a palavra certa) e usar-lo contra o grande inimigo do seu pudim, Batman.



Assim como o título diz, a história conta realmente o louco amor que Harley sente pelo Coringa. Um amor doentia, como é mostrado no final da história. Harley e o Coringa apesar de suas maldades e loucuras, é um dos meus casais favoritos. E o mais estranho é que é exatamente essa loucura que eles emanam, que acaba os tornando um vicio.



Louco Amor é um HQ para quem realmente é fã desse casal (apesar de ser uma boa "aventura amorosa" para quem não for fã) ou da loirinha, que recebe um destaque maior que o Coringa na história. Recomendo tanto ler o quadrinho, como também ver o episódio, Louco Amor (Mad Love), de Batman: A Série animada. É uma ótima louca aventura.




E o ministério da saúde adverte. Ler essa história pode fazer você ficar loooouco...
= )

Boa leitura!

O Castelo Animado

Quem gosta de animações provavelmente já ouviu falar no filme O Castelo Animado. Que é uma linda animação japonesa produzida pelos estúdios Ghibli, no ano de 2004. O filme foi produzida por Hayao Miyazaki, um dos mais respeitados criadores de animação japonesa, e virou um grande filme de sucesso japonês. Porém muitos não sabem que essa maravilhosa história foi baseada no livro O Castelo Animado, da inglesa Diana Wynnes Jones. 
O livro fala sobre a pobre Sophie, a mais velha de três irmãs que já aceitou o fato de ser a fracassada da família. Porém, após uma terrível bruxa ficar irritada com a moça, é jogado um feitiço na então jovem Sophie que faz com que ela se transforme numa velhinha com pele enrugada, com coluna curvada e muito cansada.
Percebendo a sua drástica situação, Sophie decide ir embora atrás da única ajuda que podeira conseguir. Então ela parte atrás do castelo mágico do qual todos daquela cidade temiam.
O Castelo Animado é realmente um livro mágico. Em sua busca pela juventude, Sophie acaba encontrando coisas que nunca podeira imaginar. Ao conhecer o mago Howl, seu aprendiz Michael Fisher e o demônio do fogo Calcifer, percebemos que Sophie começa a aprender o que é ter uma alma jovem. Coisa que nunca lhe foi permitido.
Amizade, amor e imaginação são fatos muito perceptíveis no livro. Além de ter uma ótima lição de moral sobre a beleza humana de forma leve e engraçada.
Mesmo tendo lido o livro depois de ter visto o filme, me surpreendi. A pontos muitos diferentes do filme com livro. Alias, essa foi uma das minhas poucas experiências que realmente gostei tanto da versão do livro, quanto da versão (super) adaptada do filme. Ambos ficaram muito originais.
A cada página que lia, me encantava ainda mais com os moradores do castelo e os amigos (ou inimigos) que encontravam pelo caminho. É o tipo de livro que deixa qualquer faixa etária encantado com o modo de escrita da autora. Que não me surpreende teve aulas com o escritor C. S. Lewis, de crônicas de Nárnia e com J. R. R. Tolkien, de O Senhor dos Anéis. Lendo o livro dá para perceber que ela aprendeu ( e muito) com os dois.
Bom, chega de papo e vá ler e assisti O Castelo Animado, por que você não vai se arrepender. Alias, você vai é flutuar com a essa maravilhosa aventura! Então...


...Ótima leitura!

Agradecimentos e Feliz Natal = )

"O importante na vida são os sorrisos que você despertou, a caridade que fez e o amor que plantou por onde passou.O resto é detalhe!"

Andresa Martins Vicentini

Comecei esse post com essa citação, pois acho que define um pouco o que sinto aqui no blog. Cada comentário que leio é um sorriso no rosto, um sorriso de muita felicidade em saber que a resenha agradou, ou que aquela sugestão foi boa, entre outras coisas. É por isso que quero agradecer cada comentário que foi feito. E quero que saibam que cada um deles foi muito especial.

E como está chegando uma data muito especial, que desejar a todos um FELIZ NATAL! Um Natal cheio de paz e luz. E que todos lembrem do verdadeiro motivo dessa celebração. Que não é só presentes, mas sim o nascimento de Jesus! Por isso, se o seu dia não for como desejado, apenas agradeça por mais um dia e sorria.



Felicidades a todos, todos os dias. Pois cada dia é especial se você mantiver um sorriso no rosto!

Desaparecido para Sempre


"Harlan Coben é mestre em prender a atenção do leitor e criar histórias surpreendentes. Ele vai seduzir você na primeira página apenas para chocá-lo na última."
Dan Brown, autor de O Código Da Vinci

Dan Brown descreveu exatamente a grande faceta de Harlan Coben. Te prender a atenção do início ao fim com um grande mistério, apenas resolvido na última página. O primeiro livro que eu li do autor foi Não Conte a Ninguém , pelo qual me apaixonei. Não só pela história, mas também pela sagacidade do autor de misturar tão bem mistério com uma grande pitada de humor negro. E Desaparecidos para Sempre não decepciona nem um pouco. Apesar de não ter o humor negro do personagem David do outro livro, Will, o personagem principal de Desaparecidos para Sempre, também mostra uma grande garra e força de vontade para descobrir o grande mistério de sua vida.
Após a morte de sua mãe, Will Klein descobre que seu irmão mais velho, Ken, pode estar vivo. Mas como ele é suspeito de assassinar uma garota de seu ex-bairro, se manteve foragido durante todo esse tempo. Com a ajuda de seu melhor amigo, Will não descobre apenas verdades (ou mentiras) sobre seu irmão, mas também coisas sobre sua vida que ele nunca suspeitaria.
Acho surpreendente o modo como Coben mescla personagens do passado e do presente em pequenas histórias que na verdade estão todas interligadas. Fazendo com que até personagens secundários tenham uma  grande importância na história.
Desaparecidos para Sempre é o tipo de livro que te faz pensar se vale realmente a pena saber a verdade sobre alguns fatos. E que por muitas vezes o que parece ser uma coisa, pode ser ou se tornar algo totalmente diferente. É um livro interessante de ler, pois você acaba inserindo um lição real a sua vida. Eu li, gostei e recomendo!

Boa Leitura!

Passagem para Ravena


Se José Ricardo Moreira queria fazer os leitores de Passagem para Ravena viciados em um livro cheio de mistério, romance e aventura, pode ter certeza que ele conseguiu alcançar seu objetivo. Passagem para Ravena é o tipo de livro que te vidra do início ao fim e ainda te faz querer repetir a dose no final da leitura.
Na Idade Média, Dimitri e Irina se conhecem ainda quando crianças e acabam se apaixonando um pelo outro. Pouco depois de se casarem uma missão lhes é dada. Porém as coisas não acabam como deveriam. E talvez a única solução esteja no século XX, com um casal que nunca pensaria em se conhecer.
Diogo e Lívia tem muitos pontos em comum e se não fosse uma cidade os separando, provavelmente seriam melhores amigos (ou algo mais). Ambos viviam uma adolescência normal, até conhecerem um senhor que lhes passou a missão não acabada de Irina e Dimitri (que acabaram sendo "incorporados" pelos jovens). 
Com várias coisas misteriosas acontecendo ao redor dos dois, Diogo e Lívia mesmo não podendo se encontrar acabam criando uma forte ligação. Tão forte quanto o amor de Dimitri e Irina.
A leitura de Passagem para Ravena me conquistou do início ao fim. Todo o mistério, aventura e romance que acontecem te envolve de uma maneira que você não consegue desgrudar do livro. É um dos meus nacionais preferidos. O livro além de tratar fatos sobrenaturais, também trata da adolescência dos jovens heróis. Além de apresentar ótimas músicas do cenário brasileiro dos anos 80 e 90. Pode ter certeza que é o tipo de livro que você não vai se arrepender!

Boa leitura!

[Degustação] Como (quase) namorei Robert Pattinson

Como (quase) namorei Robert Pattinson, de Carol Sabar, é exatamente o tipo de livro feito para fãs de Crepúsculo (também conhecidos como twi-hards). O livro conta a história de Duda, que tem 19 anos e é completamente viciada na saga. Quando ela vai passar uma temporada de estudos em Nova York o seu vicio aumenta ainda mais, pois ela acredita que finalmente vai conhecer seu grande ídolo, Robert Pattinson. Ela só não esperava que ao se mudar acabaria vizinha de Miguel Defilippo, o lindo, rico e encantador, sósia do Pattinson. 
Ainda não li o livro, apenas os dois primeiros capítulos que foram liberados para aguçar a nossa mente. Mas apenas esses capítulos já conseguiram me arrancar boas risadas. 
E para quem ainda não leu os primeiros capítulo é só clicar no link abaixo!






Para Sempre

Nesses últimos anos os grandes sucessos literários infanto-juvenis são os livros com personagens nada normais. Nada normais mesmo. Vampiros, lobisomens, videntes, bruxos, semi-deuses,... Seres nada convencionais que conquistam cada vez mais seus espaços no mundo. Estranho, não? 
O fato desses sucessos se devem muito a escrita mais atualizada desses personagens, que agora são interpretados por adolescentes cheios de problemas e que também sofrem por um grande amor. 
Os autores estão conseguindo cada vez mais transformar seres que normalmente davam medo, em seres que nos emocionam, nos faz rir e incrivelmente torcer (ou ainda odiar) por eles.
E em Para Sempre, de Alyson Nöel, não é diferente. O livro mistura o sobrenatural, com mistério,  romance e uma grande pitada de ciúme (que vai do início ao fim). Isso além de uma grande indecisão da personagem principal. 
Ever Bloom era tudo o que uma garota sonha ser (e quem todo garoto deseja ter). Bonita, popular e líder de torcida. Resumindo, a "garota perfeita". Isso chega até ser clichê. Porém um simples acidente de carro acaba transformando toda a sua vida. Seus país, sua irmã e seu cachorro acabam morrendo, levando Ever morar em outra cidade com sua tia. Agora tudo o que ela quer é não chamar atenção. Mas infelizmente (ou não) as coisas que ela deseja acabam não acontecendo. O que por vezes pode ser muito bom. Ainda mais se um certo garoto encantador acaba meio que apaixonado por você.
Confesso que quando comecei a ler o livro não conseguia mais parar. Você sente uma enorme necessidade de saber o final. Porém eu entendi um pouco como algumas pessoas acabam não gostando muito do personagem principal. A indecisão de Ever acaba por vezes sendo irritante. Por horas ela parece ter certeza de uma coisa, e em outra hora ela muda completamente de opinião. Esse fato é até justificado, pois ela ainda se sente frágil e indefesa pela morte de sua família, mas por ser algo que ocorre muito rapidamente (as mudanças de humor) fica até difícil saber o que ela sente.
Apesar disso, Para Sempre é um ótimo pedido de presente de natal, pois é o tipo de livro que você começa a ler e até esquece da hora ou o que está  ao seu redor. Com certeza você vai querer ler logo a continuação para se deliciar com as histórias de Ever, Damian e de todos os perigos que sempre os cercam. Então...

Boa leitura!

Água para Elefantes

Se procura uma história feliz, cheia de palhaços, piadas e brincadeiras no circo... Água para Elefantes é a escolha errada para isso. Mas caso queira se encantar com uma linda história de amor entre um rapaz, uma moça e uma elefanta, então você  está procurando a história certa.




Jacob Jankowski é um senhor de 90, talvez 93 anos, que vive em um asilo onde só pode tomar banho vigiado e a comida é algo que não precisa mastigar. Naquele lugar onde ele sabe que viverá seus últimos anos de vida, ele relembra sua juventude no circo. Como se apaixonou pela primeira vez pela maravilhosa estrela do circo, Marlena. E como ele se apaixona pela segunda vez, pela também maravilhosa estrela do circo, Rosie (uma elefanta aparentemente estúpida).
Sara Gruen, escritora do livro, é uma grande pesquisadora do tema circense, pelo qual se diz seduzida. Gosto que é notado pelos detalhes que ela oferece do circo da década de 1930. Desde como é montado o circo, até como funciona a hierarquia dentro do mesmo. Que nos faz ser realmente levados para o circo daquela época.
O fato do livro ser feito em torno dos flashes da juventude de Jacob, é comum nos vermos numa própria reflexão de como seria se não tivéssemos feito aquilo ou como seria se pudéssemos voltar atrás. Mesmo feliz com a vida que o Sr. Jankowski teve é impossível ele não comparar como está a sua vida agora. Velho e sempre dependendo dos outros para fazer as coisas (apesar de não precisar de verdade dessa ajuda).
Água para Elefantes é um livro que podemos rir, nos emocionar, morrer de raiva e torcer por um super final feliz, não só para Jacob e Marlena (e Rosie), mas também a todos os outros que lutaram para manter o circo em pé (de forma honesta, é claro).


" A Vida é o maior espetáculo da Terra"

Boa Leitura!